Malmö – Uma viagem de última hora

Antes de começar a minha Eurotrip de Julho, eu planejei tudo há mais de um mês antes da data de partida. Malmö foi uma história diferente.

Eu só resolvi ir para Malmö mais ou menos uma semana antes do início da viagem. Minha host family estava indo em um camping na última semana de junho, o que significava que eu teria 5 dias para passar como eu quisesse, e o que eu queria era dar uma adiantada na minha grande viagem. Como eu estava indo para Copenhague para encontrar alguns amigos em alguns dias, pesquisei cidades próximas a Copenhague que fossem interessantes para visitar e me deparei com a grande cidade de Malmö. Malmö é a terceira maior cidade da Suécia e é convenientemente localizada somente 30 km ao leste de Copenhague, o que quer dizer uma viagem de trem de 35 minutos entre uma cidade e outra. Perfeita para um inclusão de última hora ao meu itinerário. Melhor ainda, eu achei uma parceira de viagem que estava super animada para me acompanhar, minha querida amiga Canadense ruiva, Maia. Eu falei para ela sobre a minha Eurotrip e ela queria fazer parte da diversão. Ela já iria se juntar a mim e às minhas amigas (Carli e Paige que estariam me visitando dos EUA) em Copenhague, então quando contei para ela sobre um início antecipado, ela estava mais do que disposta a vir.

Como o meu orçamento já estava bem apertado, eu ainda precisava decidir se eu teria, digamos assim, os recursos para essa inclusão de última hora. Decidi que se encontrasse um host de CouchSurfing, eu iria. Solicitei alguns couches (estou pensando em escrever um how-to para perfis e solicitações de CS) e, felizmente, recebi uma resposta muito querida da Alexandra, uma sueca que viajou pela América do Sul no ano passado e com quem eu tinha certeza que eu teria muito em comum.

A Kim e eu rumo Aalborg, durante uma de nossos aventuras juntas. Saudade de você, linda!

Então, a Maia e eu fomos para Copenhague cedinho na manhã de quinta-feira, mas sem deixar de antes dar tchau para minha queridíssima amiga de San Diego, a Kimmie. A Kimberly estava estudando aqui durante um semestre e estaria voltando para a Califórnia em alguns dias, então eu não iria vê-la quando eu voltasse da minha viagem. Estávamos pegando o ônibus para Copenhague perto de onde ela estava ficando, então ela desceu até a rodoviária e, como o ônibus estava prestes a sair, demos um tchau apressado. Foi um momento emocionalmente incrivelmente conflituoso. Eu estava empolgada para começar a viagem, mas de coração partido por ter que dizer adeus a uma pessoa que realmente fez a minha experiência aqui na Dinamarca mais que especial e marcante. A Kimberly era alguém com quem eu sempre podia contar para ter uma aventura, uma dia tranquilo ou para me animar. Ela me acolheu e me apresentou aos seus amigos, e eu sabia que voltar para Aarhus sem ela estar aqui não seria fácil.

Bom, nossa jornada a Copenhague durou em torno de três horas (1 hora na balsa e 2 horas no ônibus). Depois, pulamos em um trem e em 35 minutos estávamos em território sueco. No trem tivemos uma comilança básica e, enquanto eu estava comendo uma cenoura muito dura, quebrei o meu aparelho fixo. Ótimo começo, certo? Mas, não se preocupem, isso não me impediu de comer durante o resto da viagem, podem acreditar.

Assim que chegamos a Malmö, percebemos um contraste imediato. Diferentemente de Copenhague e Aarhus, não havia uma massa de olhos azuis e cabelos loiros, ao contrário havia uma variedade de pessoas da qual eu nem havia percebido que eu estava sentindo falta. O estilo era bem mais alternativo, às vezes até meio andrógeno.

Encontramos a nosso host, Alex, no apartamento dela e de imediato nos demos muito bem. Conversar com ela era algo muito natural, como se estivéssemos visitando uma amiga antiga. Ela nos mostrou o nosso quarto, nos deu um jogo de chaves e, como era um dia lindo e ensolarado, nós três fomos para a praia. Foi uma caminhada ótima, conversamos sobre tudo, desde política a literatura e comida. Ela nos mostrou alguns dos monumentos de Malmö e depois de uma hora estávamos sentadas ao lado da água, aproveitando o sol. E, depois de um início incrível à viagem, eis que vejo um grupo reunido em pé, todos vestidos de branco. Minha intuição de brasileira começou a funcionar, e quando um deles apareceu com um berimbau nas mãos, meu queixo caiu. Nunca imaginaria que poderia ver capoeira na Suíça. Obviamente, a Maia, a Alex e eu nos sentamos e assistimos o grupo dar o seu show. Eles eram incríveis e quando terminaram vieram entregar panfletos sobre o grupo. A Maia contou que eu era brasileira e me puxaram para sambar e conversar. Foi incrivelmente surreal, dançar MPB, sentir a brisa do mar Báltico e curtir o sol escandinavo.

Capoeira!

Samba!
A ponte que conecta Malmö e Copenhague.
Beira-mar, vista do mar Báltico.
Distrito moderno de Malmö.
O Turning Torso (pode ser traduzido como tronco girando), um dos prédios mais modernos e ecológicos de Malmö.
Adorando Malmö.
Arte urbana linda em uma ponte.
Céu suíço incrível.
Arte moderna no parque, pregos feitos para parecerem cogumelos.
Maia no centro de Malmö.
Rua linda no centro de Malmö.
Flor incrível no Slottsparken.
Maia e eu no maravilhoso Slottsparken.
Assistindo a semifinal da Euro Copa, Itália contra Alemanha no telão no parque Folkets.
Melhor falafel de Malmö, segundo a nossa host. E preciso dizer, talvez seja o melhor falafel que já comi!

No dia seguinte, a Alex fez um café da manha para a gente delicioso, com direito a dois tipos de pão caseiro. Ouvimos música brasileira, francesa, e sueca e conversamos sobre as nossas viagens, nosso estudos e futuro. Mais tarde, nos aventuramos na chuva para conhecer os cafés e restaurantes vegans do bairro dela. Também exploramos as feiras e caminhamos um pouco pelo centro. À noite, fizemos uma janta deliciosa, com pão sírio, molhos e todos os tipos de legumes, acompanhado de sidras de maçã, pêra e frutas vermelhas, tudo muito gostoso. E para sobremesa, a Alex fez sorvete de banana. Bananas congeladas e batidas com canela e cardamomo, simplesmente incrível.

Hora da janta!
Hora da janta com a Alex, nossa host.
Calendário de CouchSurfing da Alex, estava lotado!

Depois do nosso banquete, pegamos um trem e caminhamos 40 minutos até uma rave secreta! Debaixo de um viaduto, no meio do nada!

A Maia na rave secreta! Música alta, pessoas doidas, luz negra e gente dançando.

Lá pelas 4hs da manhã, fizemos o nosso caminho de volta à casa da Alex para uma soneca de duas horas e depois voltamos para Copenhague para encontrar a Carli na estação central e começar o trecho dinamarquês da viagem. Mas, isso fica para o próximo post…

Preciso dizer, Malmö foi uma ótima inclusão na minha viagem. Deixou uma sensação ótima para carregar durante o resto do roteiro, viajando para lugares inesperados, sendo rodeada de pessoas ótimas, comidas maravilhosas, conversas incríveis e muitas surpresas. A Maia foi uma companheira de viagem fantástica. Ela estava cheia de energia, pronta para explorar a cidade e tirar fotos de tudo! E a Alex foi uma ótima host. Ela definitivamente me deixou com grandes expectativas para os meus hosts futuros de CouchSurfing. Ela confiou em nós 5 minutos depois de nos conhecer. Ela nos deu uma chave para o apartamento dela, cozinhamos juntas, eu cortei a franja dela, e rimos muito juntas. Não por causa do cabelo dela, claro. Enfim, Malmö foi maravilhosa.

Advertisements

One thought on “Malmö – Uma viagem de última hora

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s