100 dias de Dinamarca – um resumo rápido

Mal dá pra acreditar, mas hoje estou completando 100 dias aqui na Dinamarca. O tempo está voando, esses dias passaram muito rápido, e muita coisa já aconteceu. Então, vamos direto ao assunto, vou tentar resumir o que tem se passado nas últimas semanas.

Acho que a melhor coisa é começar pela notícia ruim, e depois terminar o post de uma forma mais leve. Na verdade, tenho evitado pensar nesse assunto, mas não há como, e aqui vai. Duas semanas atrás, no dia 18 de maio, um dos meus primos, o Aldinho, faleceu. Houve vazamento de gás durante a noite no apartamento em que ele estava morando e ele nunca acordou. Foi um choque para a família inteira. Ele tinha apenas 18 anos de idade, estava apenas começando a vida e de repente ela acabou. Eu penso nele todos os dias, sobre a injustiça do que aconteceu e a dor que a família dele deve estar sentindo. Para ser bem sincera, isso abalou um pouco a minha fé. Sempre acreditei que as coisas acontecem por algum motivo, que tudo tem um porquê, mas aqui parece que isso não se aplica. Qual seria o motivo de um menino brincalhão, saudável, querido, que estava em casa, no lugar onde ele deveria estar mais seguro, morrer assim, de repente?

Conversei com o meu irmão sobre isso ontem mesmo, e ele falou uma coisa muito certa – provavelmente nunca vamos entender o que aconteceu, mas o que podemos aprender dessa situação é que nunca se sabe o que pode acontecer amanhã, então temos que sempre aproveitar muito bem o dia de hoje. Não é consolo suficiente, não ameniza a dor que sinto, mas é algo para se pensar. Rezo pela família dele todos os dias, para que eles tenham força para lidar com essa perda e essa dor e para que o Aldinho tenha descanso eterno.

O Aldinho na festa de 60 anos do Nego.

No fim de semana em que recebi a notícia sobre o Aldo, a saudade de casa, do Brasil, bateu forte. Mas tive a sorte de estar na casa da Kimberly naquele dia, a minha melhor amiga aqui na Dinamarca. Como o tempo estava esquentando, passamos boa parte do fim de semana passeando e aproveitando o sol. No sábado fomos ao parque da casa de verão da família real, Marselisborg Slot, e no domingo fomos para a praia de Risskov encontrar alguns amigos que também estão fazendo intercâmbio aqui.

Jardim do Marselisborg Slot.
Praia de Risskov – Para a nossa surpresa, aqui na Dinamarca é permitido nudismo em todas as praias, então nesse dia vimos muitas coisas interessantes. Infelizmente (ou não) não capturamos o momento.

Por incrível que pareça, o tempo continuou esquentando durante a semana passada, e tivemos alguns dias com máxima de 26ºC. Foi uma delícia, e consegui ir pra praia a semana inteira e até peguei uma corzinha, nem parecia que estava na Dinamarca.

Eu e Lucas, meu amigo mineiro. Sabia que é ilegal erguer a bandeira de outro país além da Dinamarca? Nudismo sim, patriotismo não!

Um dia a professora do meu curso de dinamarquês até resolveu ter a nossa aula ao ar livre, para poder aproveitar um pouco esse calor raro. Fomos para o parque ao lado da biblioteca, e sentamos ao lado do canal. Foi muito gostoso.

Uma coisa interessante aqui é que devido à posição da Dinamarca na Terra (quase no pólo norte), os horários do nascer e pôr do sol, durante o horário de verão, são muito diferentes de qualquer coisa que eu já vi antes. O sol está se pondo em torno das 23hs e nascendo em torno das 4hs. É uma coisa de outro mundo, dá vontade de ficar acordada a noite inteira só para acompanhar esse fenômeno.

Grenåvej, a avenida principal ao lado de casa, às 22h30.

E com essa onda de calor e luz, a Dinamarca começa a ficar mais e mais agitada. Os festivais de rua começam a aparecer, os bares ficam abertos por mais tempo e as pessoas se animam para fazerem piqueniques e churrascos. Este fim de semana a Kimberly e eu vamos para Copenhague a um festival chamado Distortion. Vamos fazer CouchSurfing de novo, já achamos um grupo de amigos que moram juntos e que aceitaram serem os nossos hosts. Como a passagem até Copenhague está cara, vamos fazer hitchhiking para chegar até lá. Aqui isso é uma prática bastante comum, e tem até um site cheio de dicas para nos ajudar: http://hitchwiki.org/en/Aarhus. Para economizar mais ainda, vamos ser voluntárias nesse festival, assim não precisamos pagar nenhuma entrada e ainda ganhamos comes e bebes.  Acho que será uma experiência muito legal, muito diferente e muito memorável. E claro, vou registrar tudo aqui para poderem acompanhar.

Bom resto de semana para todos e ótimo fim de semana. Espero que estejam bem e aproveitando cada momento da vida.

Advertisements

2 thoughts on “100 dias de Dinamarca – um resumo rápido

  1. Minha filhinha linda, você é uma inspiração, agradeço a Deus a sua existência e quanto mais você cresce e aparece mais anima meu coração. Viva mesmo intensamente e aproveite tudo que foi planejado pra você. Aproveita bastante a viagem, tira bastante foto com a sua galera linda, e com as outras galeras também, eles tambem são lindos!!! Te amo, have fun, be good, take care. bjs

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s